Rio de Janeiro

 

Pergunta, durante entrevista coletiva, no Rio de Janeiro: "O que vocês gostariam de saber do Brasil?"
Abaddon: "Por que o gol de mão do Maradona (N.R.: contra a Inglaterra, na Copa do Mundo de 86, 6 meses antes) valeu?"

 

 

 

    Pela primeira vez na turnê, houve a possibilidade de cancelamento do show, em função do acúmulo de falta de estrutura até aquele momento (mais detalhes, na galeria de imagens do link VENOM NO BRASIL, na reportagem "Trambicaram o Venom", da revista Bizz - 1987).

    Possivelmente a única vez, até então, que a banda não tenha tocado "Countess Bathory", excluída do show após o memorável choque que o Cronos levou do microfone.

    Postei duas resenhas do show, uma da Metal, e outra da Rock Brigade. Parece que estavam escrevendo sobre dois eventos distintos...

    A Metal fez parte ativa da minha formação no Heavy Metal, minha gratidão com esta revista é incalculável. Mas é inegável que eles se divertiam atacando o Black Metal e o Death Metal. 

    Os shows do Venom em 86 poderiam ter sido melhores. Estruturas precárias, falsas ilusões dos produtores, escolhas megalomaníacas dos locais dos shows, mudança inesperada de lineup, setlist baseado em material não lançado (e menos agressivo)...tudo está correto. Mas não do jeito, e da intensidade, que a Metal contou...

    Aliás, já viram um review de um evento musical, que contou com 3 bandas, sem mencionar sequer UMA música?

    Na extinta comunidade Venom Brasil, do insuperável Orkut, havia diversos tópicos falando sobre esses shows de 86, com postagens, em sua maioria absoluta, do estilo "bom, mas poderia ter sido melhor".

Galeria: Rio de Janeiro, 07/12/86 - Venom, Exciter, Dorsal Atlântica. Público: 3.700